EXCLUSIVO Guerra no Ipem-AM: presidente do Inmetro esvazia presidência nomeada por Amazonino

0
12157

Uma guerra surda pelo comando do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM) está em curso. O governador Amazonino Mendes nomeou Jorge Augusto Carneiro dos Santos para a presidência. Demitiu o engenheiro Márcio André de Oliveira Brito. Nesta segunda (07/04), o presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) nomeou Márcio André assessor especial. Transformou o ex-presidente em ordenador de despesas e gestor técnico e administrativo do Inmetro no Estado. Carlos Augusto de Azevedo, que veio dar posse a Márcio no novo cargo, na prática, anulou o ato de Amazonino.

Hoje mesmo, logo após a posse como assessor especial da presidência do Inmetro, Márcio André voltou ao gabinete da presidência do Ipem-AM. Fonte do Governo do Estado, contatada pelo Portal do Marcos Santos, disse que a administração está apenas “monitorando” a situação.

Entenda o viés político

A disputa tem profundo viés político. Amazonino tem retirado do governo ocupantes de cargos comissionados tidos como “ligados a Omar”. O aliado da eleição suplementar de outubro, senador Omar Aziz, virou inimigo feroz. Márcio André entrou nessa conta.

Amazonino se negou a receber o presidente do Inmetro, que veio ao Amazonas para as formalidades de boas-vindas. “Conversei com José Melo e com David Almeida (ex-governadores) sem problemas. Amazonino mandou o vice-governador Bosco Saraiva nos receber”, revela Carlos Augusto.

Quando surgiram os primeiros boatos de que Márcio André seria demitido, o presidente do Inmetro tentou novamente falar com Amazonino. “Passei uma semana inteira ligando e não consegui. O ministro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC) conversou com ele, mas não foi atendido”, disse. O Inmetro é subordinado ao MDIC e o ministro Marcos Jorge de Lima teria sido atendido asperamente por Amazonino. Mais que isso, o governador fez exatamente o que ele pediu para não fazer, isto é, demitiu Márcio André.

Técnico e bom articulador

Presidente do Inmetro e ministro do MDIC pediram para que Márcio André ficasse no cargo por razões técnicas.

Ele estruturou o Ipem-AM

, criando dez unidades no interior e duas em barcos. “O Inmetro é dono do prédio, das unidades, dos barcos. A relação com o Estado é gerida por um convênio. Nele há uma cláusula pétrea dizendo que o planejamento não pode ser mudado sem anuência das partes”, diz Carlos Augusto.

Márcio André, desde que assumiu a presidência do Ipem-AM, arrancou investimentos de R$ 10 milhões do Inmetro. “Há até certo ciúme dos outros 25 Estados que têm convênios conosco”, confessa Carlos Augusto.

O Inmetro, em suma, é dono de todas as instalações do Ipem-AM. O Governo do Amazonas entra apenas com 27 cargos comissionados. Os funcionários efetivos e terceirizados, em torno de 150, são pagos pelo Inmetro.

Os desdobramentos não devem demorar. Márcio ficará com um grupo de fiscais federais e Jorge Augusto com fiscais estaduais. Para fazer qualquer fiscalização, o presidente do Ipem-AM terá despesas. Estas só poderão ocorrer com autorização de Márcio. Em suma, o presidente nomeado por Amazonino vira uma espécie de “rainha da Inglaterra”.

Veja a primeira portaria nomeando Márcio ordenador de despesas (a outra deve sair no Diário Oficial de amanhã):

Veja a nomeação, publicada no Diário Oficial da União:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here