Crianças com deficiência contemplam natureza e vista a 42 metros de altura em passeio no Musa

0
817

Respeitar a floresta e preservá-la foram alguns dos ensinamentos aprendidos pelas crianças que participam da 5a Colônia de Férias para Pessoas com Deficiência (PCD), em passeio realizado nesta quinta-feira, 24/1, no Museu da Amazônia (Musa), localizado na Reserva Florestal Adolpho Ducke, bairro Cidade de Deus, zona Norte. O passeio foi promovido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel).

Inserido na maior reserva urbana do Brasil, com 100 mil metros quadrados, o Museu da Amazônia oferece atrações para os seus visitantes conhecerem, como o lago onde estão as vitórias-régias, o aquário com peixes da região, o orquidário, borboletário, a torre de observação de 42 metros de altura, entre outros. E foi dessa forma que um grupo de 20 crianças conheceu mais sobre a Amazônia.

“A gente sempre busca levar para as crianças a parte comportamental e de diversidade. São crianças que precisam conhecer, sentir o meio ambiente. Então, nada melhor como estar em uma área preservada, uma área que mostra uma riqueza natural e que assim eles sintam essa energia e o respeito à natureza é tão importante quanto o respeito ao ser humano”, destacou o diretor de Esporte da Semjel, Alexsandre Barbosa.

O coordenador do Musa, Valter Calheiros destacou quais são os pontos mais procurados pelos visitantes e que há certa acessibilidade para Pessoas com Deficiência acompanharem as exposições e atrações que o museu oferece.

“O Musa é um museu vivo, então o que é mais importante aqui é tudo que está vivo. As borboletas, as formigas, os peixes, a fauna e a flora. A gente tem que ir ao encontro do que está vivo, observar, contemplar. O que o mais o pessoal gosta é, sem dúvida nenhuma, a torre. E com relação ao atendimento de Pessoas com Deficiência aqui nós temos algumas trilhas que podem ser feitas por essas pessoas. Além de conseguir acompanhar as exposições, o orquidário, as bromélias e outros”, informou.

Acompanhando o filho José Henrique das Chagas, 11, identificado com Transtorno do Espectro Autista (TEA), a dona de casa Tereza Batista, 57, recuperava o fôlego após subir os 243 degraus da torre de observação. “Esse passeio foi maravilhoso para as crianças e para a gente. Essas atividades são boas para eles interagirem e é uma pena que está acabando a colônia de férias”, disse a dona de casa.

Já o autônomo, Osmar Vieira, 45, ao lado do filho Matheus Vieira, 20, também diagnosticado com TEA, falou sobre a importância de se realizar passeios como esse. “É novidade para gente. Eu ainda não havia tido o prazer de vir aqui ao Musa. E realmente é muito bom, sair um pouco da rotina, é um diferencial. É bom para ele, bom para mim e acredito que bom para os outros pais também. Ele gostou da altura, de ver as árvores lá de cima, fez muitas fotos”, salientou.

A 5a edição da Colônia de Férias para PCD encerra nesta sexta-feira, 25/1, com o baile de carnaval que será realizado no Parque Cidade da Criança, Aleixo, zona Centro-Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here