Novas terapias auxiliam na saúde de dependentes de álcool e drogas

0
4583

A colocação de pequenas sementes de mostarda com adesivo na orelha dos pacientes, tendo como referência o mapa de pontos auriculares, é a técnica utilizada na China para problemas de saúde, como dependência química. O método também está sendo utilizado pela Prefeitura de Manaus nos pacientes com uso abusivo de álcool e drogas atendidos no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Afrânio Soares, no Adrianópolis, zona Centro-Sul.

A implantação de novas práticas ou terapias na promoção à saúde dos pacientes teve início a partir do final de 2017 e início de 2018, como consequência das observações de pessoas em atendimento pelo estabelecimento de saúde e no crescimento do interesse do público com idade acima dos 60 anos, em uso problemático de álcool e drogas.

“O Ministério da Saúde denomina a terapia como Práticas Integrativas e Complementares e estão sendo aplicadas no tratamento às pessoas que consomem álcool, crack e outras drogas, em busca da promoção à saúde. O prefeito Arthur Virgílio Neto determinou que buscássemos todas as alternativas para os nossos pacientes, para que eles possam ser tratados e recuperados em nossos Capss”, destaca Marcelo Magaldi, secretário municipal de Saúde (Semsa).

O novo método chinês tem se desenvolvido e auxiliado o diagnóstico em muitas patologias e no tratamento de sintomas, como ansiedade, fissura e insônia, aliado a práticas até de Yoga. “Primeiro fizemos os testes com as sementes de mostarda em nossos funcionários, com técnicas de relaxamento que deram bons resultados, até mesmo para dores”, ressalta a terapeuta do Caps Afrânio Soares, Antonieta Dias, acrescentando que o tratamento se faz em dez sessões.

Atualmente, o grupo de terapia é formado por 16 pessoas. As atividades estão sendo realizadas em grupos de pessoas, conforme a necessidade de cada paciente. “Cada pessoa é um universo único e todo o tratamento pela auriculoterapia tem como objetivo promover o equilíbrio e o bem-estar dos pacientes”, assegura a terapeuta Débora Ramos.

Histórias de recuperação

O auxiliar de cozinha, Cristian Pablo, de 27 anos, é um dos pacientes que irá testar a nova técnica chinesa. Ele que chegou até a perder o trabalho por causa do uso abusivo de álcool e drogas, agora sente que poderá mudar de vida. “Estou enxergando o mundo de outra forma, mais otimista e confiante que posso recuperar a minha história”, comemora. “Estou tendo o acompanhamento diário com profissionais e quero dizer a todos os jovens que não entrem nessa vida de drogas. O começo é até prazeroso, mas depois é difícil largar. Não desejo a vida que eu passei para ninguém. Procurei ajuda e tratamento e, agora, estou me sentindo outra pessoa”, aconselha.

Depois de emagrecer subitamente, devido aos vícios de cigarro e bebida, perdendo também o convívio familiar, o ajudante de pedreiro Nalberto Melo, de 51 anos, contou que conseguiu uma reviravolta em sua vida quando sua família procurou o Caps para tratá-lo e ele aceitou.

“Eu já estava numa condição que não acreditava nem mais em mim. Não estava mais aguentando a vida que eu levava e precisava de alguém para me apoiar. Foi quando obedeci à minha família, senão eu ia morrer mesmo. Estava pesando 54 quilos e, agora, já estou com 68 kg. No Caps fui bem acolhido e estou feliz em ver que posso me recuperar com todas as terapias que eles oferecem aqui. Agora, tenho mais alegria em viver”, relata Nalberto.

Terapia Integrativa

Um encontro entre pessoas para que conheçam melhor a si e a comunidade em que vivem e, juntos, busquem alternativas para lidar com os problemas. A terapia comunitária é outro método que vem sendo aprimorado no Caps Álcool e Drogas, estendendo-se aos familiares dos pacientes, que podem participar dos grupos de terapia, independentemente da vinculação do paciente ao serviço. Atualmente, 20 pacientes e oito pessoas da família participam dos encontros.

Além da Auriculoterapia e a Terapia Comunitária Integrativa, a direção do Caps Afrânio Soares pretende desenvolver, ainda em 2018, a técnica do Mindfulness (Atenção Plena), que consiste em aprimorar o estado mental de controle sobre a capacidade de se concentrar nas experiências, atividades e sensações presentes, o que contribuirá, segundo os profissionais psicólogos e terapeutas da unidade, para o processo de autocuidado por parte dos pacientes.

Rede de atendimento

A rede de saúde pública do município de Manaus funciona com três Centros de Atenção Psicossocial (Capss).  Além do Caps Álcool e Drogas Afrânio Soares, situado na Alameda Espanha, n. 5, bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul, com entrada pela avenida Efhigênio Sales, antiga V-8.

A prefeitura também possui o Caps Benjamin Fernandes, na avenida Maneca Marques, n. 1.916, Parque Dez de Novembro, também na zona Centro-Sul, responsável pelo diagnóstico e tratamento de pessoas com doenças psiquiátricas.

O terceiro é o Caps Infanto-Juvenil, tipo II, localizado na avenida Adolpho Ducke, n. 1.221, conjunto Acariquara, Coroado, zona Leste, que destina-se aos cuidados de crianças e adolescentes, atendendo também casos de dependência de álcool e outras drogas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here