Prefeitura anuncia a liberação de R$ 7 mi de crédito adicional para as ações de combate ao sarampo

0
3353

Liberação de crédito adicional de R$ 7 milhões, recurso de superávit da Vigilância Epidemiológica do Sistema Único de Saúde (SUS), para contratar cem técnicos de enfermagem aprovados em Processo Seletivo em 2017 e garantir a estrutura logística necessária para ampliar a força de trabalho empregada no controle do surgimento de casos de sarampo em Manaus. Essas foram as medidas anunciadas pelo secretário-chefe da Casa Civil, Arthur Bisneto, durante a coletiva para apresentação da Sala de Situação de Vigilância em Saúde, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) na tarde desta quinta-feira, 22/3.

“São recursos do SUS, que o prefeito Arthur Neto autorizou que sejam utilizados para que possamos aumentar o quantitativo de pessoal que fará visitas casa a casa, para identificar quem ainda não estiver imunizado e vacinar, se for o caso. É um trabalho importante de prevenção, porque não podemos permitir que uma doença como essa volte a acometer nossa população. Nós vamos combater, com velocidade, e não deixar que o sarampo avance na cidade de Manaus”, afirmou Bisneto.

Participaram da entrevista coletiva, além de Bisneto, o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi; o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS – AM), Bernardino Albuquerque; o diretor-presidente da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Marcos Guerra e a subsecretária municipal de Gestão e Atenção à Saúde, Adriana Elias, que coordenará a Sala de Situação.

Segundo Marcelo Magaldi, todos os procedimentos legais já estão sendo finalizados para que os recursos possam ser liberados, bem como os cem técnicos de enfermagem que foram aprovados no Processo Seletivo Simples (PSS) realizado em setembro de 2017 possam ser convocados. “Todos os trâmites legais estão em fase de conclusão. Já tivemos o parecer favorável da PGM (Procuradoria Geral do Município) e estamos concluindo o edital de chamamento dos técnicos, que deve ser publicado, no máximo, até a próxima segunda-feira”, assegurou Magaldi.

O diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, ressaltou a importância da vacinação como medida primordial para evitar o surgimento do sarampo. “Precisamos que a população se envolva diretamente, observando se os cartões de vacina de toda a família estão atualizados e, caso não estejam, procure as Unidades de Saúde o mais rápido possível para receber a imunização”, orientou.

Sala de Situação

A criação da “Sala” considera o cenário de risco local, porque Manaus encontra-se em uma situação particular de susceptibilidade de reintrodução do vírus, com cobertura vacinal de 76,11% para crianças de um ano, o que reforça a necessidade de antecipação das ações nas esferas de governo a eventuais epidemias de Sarampo. Até esta quinta-feira, 22, haviam sido notificados 33 casos suspeitos de doença exantemática. Um foi descartado e os outros 32 continuam em investigação, aguardando os resultados das análises pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

A Sala de Situação de Vigilância em Saúde é composta por representantes das secretarias municipal e estadual de Saúde (Semsa e Susam), FVS-AM e FMT-HVD.

“Com a criação desse mecanismo, teremos, semanalmente, boletins oficiais sobre a situação epidemiológica dos casos notificados e possíveis confirmados de sarampo. Além disso, a Sala vai elaborar relatório mensal do monitoramento das ações desenvolvidas para o controle do vetor”, informou a subsecretária de Gestão e Atenção à Saúde, Adriana Elias, que coordenará a Sala de Situação, lembrando que todos esses dados serão amplamente divulgados nos canais de informação – oficiais e mídias.

A “Sala” também vai orientar cada secretaria e órgãos integrantes da estrutura sobre a elaboração de Plano de Ação, com metas e prazos, monitorando o desenvolvimento das ações.

 

Sobre o sarampo

  • doença viral, infecciosa aguda, potencialmente grave, transmissível, extremamente contagiosa e bastante comum na infância.
  • a transmissão ocorre de forma direta, por meio de gotículas expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar, podendo ocorrer a partir de seis dias antes a até quatro dias depois do início do exantema, por isso a elevada contagiosidade da doença.
  • também tem sido descrito o contágio por dispersão de aerossóis com partículas virais no ar, em ambientes fechados, como escolas, creches e clínicas.
  • uma pessoa com sarampo pode gerar cerca de 40 casos secundários.

 

Sintomas

Considera-se caso suspeito de Sarampo, toda pessoa que, independente da idade e da situação vacinal, apresentar febre por mais de três dias e exantema acompanhados de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite; ou todo indivíduo suspeito com história de viagem ao exterior nos últimos 30 dias, ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou ao exterior.

Composição da Sala de Situação de Vigilância em Saúde:

  • Representante do grupo de Gestão:

– Adriana Lopes Elias – Subsecretária Municipal de Gestão e Atenção à Saúde (Semsa);

– Bernardino Cláudio Albuquerque – Diretor Presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS);

– Ângela Maria Matos do Nascimento – Diretora do Departamento de Atenção Primária (Semsa);

  • Representantes do grupo de Trabalho da Vigilância em Saúde

– Alexandre Xavier de Melo – Enfermeiro da FVS;

– Christianne Benevides – Gerente de Epidemiologia da FMT-HVD;

– Eliane Nogueira Campos- Gerente do Centro de Vigilância Estratégica e Vigilância em Saúde (Semsa);

– Isabel Cristina Hernandes – Chefe de Divisão de Imunização da Semsa;

– Jair dos Santos Pinheiro – Gerente de Vigilância Epidemiológica da Semsa;

– Marinélia Martins Ferreira – Diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Semsa;

  • Representantes do grupo de Trabalho da Atenção à Saúde

– Antônio Magela Tavares – Diretor de Assistência Médica da FMT-HVD

– Marineide Souza da Silva – Farmacêutica da Gerência de Apoio Diagnóstico da Semsa;

– Marcos Lira Alves – Chefe do Núcleo de Territorialização da Semsa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here